Não é assim uma Brastemp, mas meu sobrinho manda ver

Perderam a noção! Descobriram há um tempo (não se sabe quando) a necessidade da publicidade mas não sua importância. O online disseminou, o viral impregnou e a publicidade e propaganda está adoentada. Todos querem comunicar mas ninguém quer pagar. O que antes era luxo da Brastemp, Coca-cola, Skol e Volkswagen, hoje é desejo do barzinho…

Coisa de velho

A idade chegou!  Não que eu não tenha reparado no espelho as rugas aparecendo quando sorrio, ou nas entradas que estão aparecendo de supetão e marcando sua trilha da infelicidade, tornando a testa e a nuca um só coração, até que a morte os separe. Não que eu não tenha tomado mais cuidado com a…

Aquele vazio cheio de um silêncio barulhento

Tem um silêncio alvoroçado acontecendo na minha cabeça. Há tanto. Há tanto. Há tan-to. Existem um zilhão de mentes vivendo aqui. Um barulho de carro ecoa uma, duas, três mil vezes. O latido do cachorro ali na esquina da quinta avenida é uma manada (sim, “manada”) berrando no meu ouvido. Uma voz fala mais alto…

Muro das lamentações

Peguei meu Rubem Braga, um banco alto e fui fazer meu tolo ritual de leitura ao pôr do sol. As nuvens enegrecidas pela chuva de minutos antes permitiram que o sol tivesse seu dia de timidez. Opaco, o sol permaneceu escondidinho, mostrando raios amarelados e alaranjados por todo o céu, mas nada da bolota brilhante…

Trogloditas do trânsito atacam novamente

Trogloditas do trânsito, coloquem as mãos para o alto e entreguem suas habilitações. Vocês são uma ameaça aos outros e a si mesmos. O dia estava quente e o ar torava junto com Florence no seu momento ápice shake it out. O ogro cruzou a avenida e deu de querer se meter numa vaga no…

Ao meu amigo infeliz

Meu amigo imaginário se chama Bob. Bob tem outros amigos imaginários. Ora é elefante, ora é elegante, ora é lagosta e já foi até mosca. Pra mim, Bob é um garoto, apenas um garoto, dentro de calças curtas cor caqui, camiseta azul bebê e tênis listrado preto e branco. O olhar é distante, longe de…

Amar pequeno, quem vamos?

Estive rolando meu feed do Facebook em completo tédio. (O “rolar o feed” é a nova troca de canal.) Foi quando me deparei a um grupo de adolescentes reunidos, aplaudindo uma grande performance, com flores, chocolates e declaração de amor pra todo o sempre, em um pedido de namoro. Os uniformes lhe revelavam a idade,…

Amor tarja preta: Rivotril tá na moda

A coisa tá preta. Parece que ficar/ser doente é moda, como se ser ansioso, depressivo ou coisa parecida fosse inserção. Os Clubes da Luluzinha e do Bolinha deram lugar para o Clube dos Doentinhos, lá eles reclamam, eles vão ao psiquiatra, eles sofrem, eles se drogam e eles trocam dicas de como agir na próxima…

Você

Essa é pra você, meu amor. Já se sentiu sem ar, como se o oxigênio tivesse extinto e teu pulmão te reivindica pelo seu único e vital instrumento de trabalho? Já se sentiu sem chão, com os pés balançando suspensos no ar? Já se sentiu perdido a ponto de desconhecer até o caminho de casa? É…

O dia em que (quase) morri no voo com meu vô

Que os bancos de aviões são estreitos para certos avantajados, a gente sabe. Mas quando o ser é antiquado, não dá! A boca aberta e o ronco alto, a gente perdoa – quem nunca?!. O braço deitado no meu, a gente perdoa – xinga mentalmente, mas perdoa. Mas colocar a segurança de um voo inteiro…

O dia em que te perdi

Te senti escorrer por entre meus dedos. Te perdi. A casa vazia, o coração também. Meus pensamentos fazem eco nas paredes do meu estômago e a tinta branca está cheia de pés sujos de quando eu sambava deitado apoiando os pés na parede te esperando pra dar boa noite. Sem mais boa noite ou bom dia,…

Quem caga seus males espanta

Sou constipado! Desde que me entendo por gente assumo o papel de travado da família. Minha mãe é uma boa fã de mamão e jamais sofrerá de constipação, viva ao mamão! Eu, no entanto, sou a vergonha, o que fica dias sem ir ao banheiro. Quando vai, por sua vez, demanda horas de concentração e…