Lover come back (to me)

Já ouviu uma música e sentiu muito a falta de alguém?

Essa fala sobre um amor que está longe, mas é mais, MUITO mais do que falar sobre, é um pedido, um reclame, um clame pela volta. Engraçado eu ter esbarrado nela esses dias. Ouvia ela no inverno passado e… bem… estamos novamente na estação de baixa temperatura. Ciclo natural, ano após ano! É uma pena o ciclo da distância também se repetir, já é “após ano” e você ainda não voltou. (Espero que não tenha saído pra comprar cigarros, já vi em filmes e essas histórias nunca terminam bem.)

Está frio por aqui, sabe?! Daquele jeito que a gente gosta, pra se enfiar debaixo das cobertas, assistir uma série, inventar coisas pra comer ou – na preguiça friorenta – se deliciar com uma barra de chocolate esperando a pizza chegar. Fazer dancinha da vitória quando ela chegar. Colocar um pedaço de cada sabor em cima do outro. Comer com as mãos. Flertar com a pizza. Flertar entre a gente. Dormir satisfeitos, juntinhos, com você me jogando pra fora da cama. 

Hoje estou assim… triste. Ouvindo a música, porque é gostoso me afogar na minha própria tristeza de não ter você por aqui. Talvez, bem no fundo, eu imagine que você apareça na margem pra me jogar uma corda, uma bóia, seu coração talvez. 

Se não puder o coração, que seja o ombro. Quero algo pra me recostar que não seja o travesseiro. Um abraço pra me cobrir. Um amor pra deitar. Sabe como é, o inverno é rigoroso, não perdoa e os dias são mais frios sem você. 

Seria bom ter você pra ocupar o lado esquerdo da cama. Tomar o restinho do chocolate quente da caneca. comer a última mordida do sanduíche. Me ajudar a arrumar a estante de livros (que está uma bagunça). Me contar do seu dia. Ouvir do meu dia. Compartilhar o casaco. Nos protegermos um com o outro do vento. Nos protegermos um com o outro das maldades do mundo. Me dizer que vai ficar tudo bem. Responder quando eu disser que te amo. E ficar… Apenas ficar. 

Sinto sua falta. São tantos “olá” e “adeus” que ainda tenho pesadelos com a traseira do Uber. Espero que, através desse desabafo, você venha me salvar. Na falta do bote salva-vidas, me contenho com essa crônica e em me aquecer por conta. Quem sabe no próximo inverno?!


Sincero, eu espero
Gui Morais
facebook.com/sinceroeuespero
instagram.com/mr.gmorais
perfil

Anúncios

Desabafa

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s